Antonin Artaud’s The Theatre and the Plague


2020

Antonin Artaud’s The Theatre and the Plague

Projeto cinematográfico internacional concebido por
WOLFGANG PANNEK
 
Baseado no ensaio homônimo de
ANTONIN ARTAUD

Diante dos desafios sociais, políticos e econômicos causados ​​pela pandemia de coronavírus, a Taanteatro Companhia assumiu em 21/03/2020 a tarefa de realizar um projeto de colaboração artística internacional no campo do cinema e das artes cênicas, baseado em O Teatro e a Peste, ensaio do poeta e teatrólogo francês Antonin Artaud (1896-1948). Em 1 de Julho de 2020, os resultados audio-visuais do projeto foram publicados on-line.

Artistas colaboradores:
Florence de Mèredieu (France), Nabil Chahhed (Tunisia), Trausti Ólafsson (Iceland), Jorge Ndlozy (Mozambique), Wolfgang Pannek (Germany), Reha Bliss (Russia), Candelaria Silvestro (Argentina), Nourit Masson-sékiné (France), Théophile Choquet (France), Or Kittikong (Thailand), Jürgen Müller-Popken (Switzerland), Insa Popken (Germany), Shane Pike (Australia) e Maura Baiocchi (Brazil)

Edição e legendas: Bruna de Araujo (EUA)
Website: Mônica Cristina Bernardes

Ideia, direção, desenho sonoro, edição final e produção: 
Wolfgang Pannek (Alemanha/Brasil)


O PROJETO
Antonin Artaud’s The Theatre and the Plague (O Teatro e a Peste de Antonin Artaud) é uma leitura cinematográfica do ensaio „O teatro e a peste“ do poeta francês Antonin Artaud (1896-1948) em tempos de pandemia. Dirigido por Wolfgang Pannek, co-diretor da Taanteatro Companhia (São Paulo, Brasil, desde 1991), o projeto conta com a colaboração de artistas e acadêmicos de cinco continentes.

Do texto
Em O Teatro e a Peste, o primeiro, hoje profético-icônico texto de seu livro mais conhecido, O Teatro e seu Duplo, originalmente apresentado como palestra em 6 de abril de 1933, na Sorbonne, Artaud desenvolve os fundamentos do Teatro da Crueldade, estabelecendo uma analogia entre a ruptura da ordem civilizacional provocada pela “peste” e as “paixões convulsivas” desencadeadas pela virulência de sua poética teatral transgressora.

Processo de criação
O texto artaudiano foi dividido em 8 segmentos distintos (por sua vez divididos em sub-segmentos), cada um com enfoque temático específico. Cada artista colaborador/a aceitou o desafio de desenvolver uma dramaturgia audio-visual (e gravar o texto de Artaud em seu respectivo idioma), correspondente ao segmento a ser abordado. A única indicação de trabalho dada aos artistas consistia em realizar uma leitura cinematográfico do texto de Artaud à luz de suas experiências subjetivas em suas respectivas localizacões geográficas, e sob às condições da limitação de circulação e do distanciamento social em tempos de pandemia.

Resultados artisticos
Desse processo de trabalho, gravado com cameras digitais, telefones celulares ou IPads, resultou um conjunto de 18 filmes, com duração entre 4 e 11 minutos cada), e atualmente disponibilizados no website do projeto: https://oteatroeapeste.wixsite.com/taanteatro

Além disso, essas narrativas cinematográficas serviram como acervo audio-visual e forma re-editadas para o longa-metragem Antonin Artaud’s The Theatre and the Plague (62 min., 11 idiomas, legendas em inglês) que apresenta o texto de “O Teatro e a Peste” na íntegra, além de reunir pessoas, paisagens e sensibilidades que vão de São Paulo a Paris, de Brisbane a Garðabær, e de Maputo a Khon Kaen.

Veja o filme no canal Youtube da Taanteatro Companhia:

https://www.youtube.com/watch?v=bwCzK72Cwds


O Filme